Views
11 months ago

Abril de 2018

  • Text
  • Rover
  • Carro
  • Primeiro
  • Rovers
  • Anos
  • Mundo
  • Motor
  • Primeira
  • Aventura
  • Jaguar
Viagem no tempo ao Nascimento do primeiro Land Rover | Como a Land Rover conduziu aventuras e explorações científica ao longo dos anos | O Editor da GQ Dylan Jones discute o tema “inspiração” como Diretor de Design Gerry McGovern | Explorando o potencial de impacto da eletrificação e dos veículos | Conquistando os 999 degraus até o topo do Heaven’s Gate, na China

O MUNDO DA AVENTURA A

O MUNDO DA AVENTURA A pesquisa científica pode ter sido a inspiração das expedições pioneiras, como as empreendidas pela primeira vez por Land Rovers das Séries originais e Defenders. No entanto, no decorrer das décadas, foi o espírito de aventura, coragem e resiliência – partir simplesmente para provar que algo pode ser feito – que moveu novas gerações de exploradores a se superar e realizar feitos notáveis. Uma roda em volta de uma fogueira nas dependências nevadas do Castelo de Eastnor, perto de Ledbury, é a oportunidade perfeita para conversamos com um grupo seleto que sabe mais do que a maioria das pessoas sobre esse espírito aventureiro: Iain Chapman, participante e diretor-executivo do Camel Trophy por uma década, Simon Day e Niki Davies, que foram os cérebros por trás do G4, evento que o sucedeu, e Phil Jones, instrutor sênior da Land Rover Experience. Eles vieram a Eastnor para se reencontrar com seu trabalho e, especialmente, com os veículos que vieram a conhecer e amar como parceiros de confiança ao longo dos anos. Iain Chapman é um escocês durão e direto, um ex-militar e motorista aficionado, amplamente reconhecido como um dos líderes de expedição mais experientes do planeta. Compreensivelmente, ele tem orgulho do fato de que, ainda hoje, o Camel Trophy é visto por muitas pessoas como o evento definitivo em termos de aventura com veículos. “Eu herdei um formato de ‘1.000 milhas de aventura’, mas logo estávamos fazendo jornadas de 1.600 milhas”, diz ele, inclinando-se para fora da janela do hoje emblemático Discovery 1 com pintura “Sandglow”, mantido em seu estado original, com adesivos do Camel Trophy em amarelo e preto – veículo que, para muita gente, virou sinônimo da própria competição. “Os carros estavam à altura, os competidores adoraram e a imprensa ficou contente. A aventura se tornou a norma.” Lançado em 1980 com três equipes alemãs percorrendo a célebre Rodovia Transamazônica, o Camel Trophy logo ficaria conhecido como as “Olimpíadas dos 4x4”. Como competição, ela recompensava o trabalho em equipe e a resiliência e levava os participantes a alguns dos terrenos mais inóspitos do mundo. O desafio era levar a capacidade humana e automotiva até o limite. Não foi à toa que a Land Rover viu aí um espírito em comum e passou a patrocinar o evento em 1981. Chapman foi convidado a assumir a administração da competição em 1987 e continuaria responsável por ela por mais de uma década. Em quase todos os países que visitava para organizar os eventos, ele fazia uso de conexões militares, de modo que seu currículo veio bem a calhar. “Os contatos eram feitos frequentemente por canais diplomáticos, muitas vezes no nível do primeiro-ministro”, ele recorda. “E, quando não tínhamos sucesso, o próximo contato Acima: O Camel Trophy mostrando por que passou a ser considerado o evento de aventura com veículos definitivo. Acima, à direita: Niki Davies, diretora de eventos do G4, Simon Day, diretor de competições e logística do G4, e Phil Jones, instrutor sênior da Land Rover Experience, estiveram profundamente envolvidos nos eventos Land Rover G4 Challenge de 2003 e 2006. seria o general responsável pela região em questão. Alguns desses caras eram de dar medo!” VEÍCULO PREFERENCIAL Em 1990, o Camel Trophy chegou à Sibéria, num evento inédito que foi viabilizado sob a administração de Chapman, graças, em especial, a seus contatos militares. Mas essa não foi a única novidade. Aquele ano da Glasnost e da Perestroika também testemunhou o lançamento de um novo veículo: o Land Rover Discovery. O Discovery utilizava elementos básicos do Range Rover e continha os ingredientes de um veículo off-road extremamente capaz. O Camel Trophy proporcionou a ele o maior palco mundial possível para comprovar suas credenciais. Ele mostraria sua capacidade logo de cara. Ao chegar à longínqua cidade siberiana de Irkutsk, após uma jornada de mais de 1.600 quilômetros pelas terras incultas e nevadas da inclemente tundra russa, Chapman e equipe se sentaram para uma avaliação antes de voar de volta para casa. Os engenheiros da Land Rover informaram a empresa de que somente dois por cento das peças sobressalentes do veículo tinham sido utilizadas. As 98 por cento restantes estavam intactas, ainda nas embalagens plásticas em que tinham sido enviadas pela fábrica! E assim, de 1990 em diante, os Discoverys desempenhariam um papel central em cada Camel Trophy, à exceção do último evento com veículos, em 1998, que usou o Freelander. D I F Í C I L D E I M I TA R Uma década depois, o enormemente bem-sucedido Camel Trophy tinha fechado seu ciclo. Porém, a Land Rover preencheu a lacuna sem demora com o Land Rover G4 Challenge, em 2003. O primeiro evento foi realizado com participantes de 16 países diferentes em localidades nos Estados Unidos, na África do Sul e na Austrália ao longo de 28 dias. O vencedor foi o piloto de caça belga Rudi Thoelen, que celebremente negociou a troca de seu prêmio, um Range Rover zero quilômetro, por dois Defenders novos. O Land Rover G4 Challenge foi administrado cuidadosamente de modo a incluir uma condução off-road desafiadora, mas procurando minimizar o impacto ambiental. O foco estava tanto nos esportes ao ar livre quanto na pilotagem off-road. Parado em frente a um dos Discoverys do G4 com pintura “Tangiers Orange”, em plena neve de Eastnor, o ex-diretor de competições e logística Simon Day explica: “Um evento de aventura de marca única tinha de se destacar das competições com múltiplos patrocinadores. Devia ter uma atratividade e um visual únicos e FOTOS: GETTY IMAGES 60

RIGHT XXXXXX “ A AVENTURA COMEÇA POR UM SONHO, UMA INSPIRAÇÃO OU UM CAPRICHO DO DESTINO. ELA ESTÁ AÍ FORA, E S P E R A N D O P O R V O C Ê , E É A L G O ATEMPORAL.” S I M O N D A Y , D I R E T O R D O LAND ROVER G4 CHALLENGE ser considerado um substituto aceitável para o Camel. Precisava ser relevante.” Também devia ser autossuficiente e dar lucro, como revela a ex-diretora de eventos Niki Davies: “O G4 tinha de cobrir seus custos e, ao mesmo tempo, realçar as amplas capacidades de uma linha de produtos que é sinônimo de aventura, exploração e descoberta. Tenho o prazer de dizer que ele superou suas metas”. O segundo Challenge aconteceu em 2006 e passou por Tailândia, Laos, Brasil e Bolívia. O corredor de aventura sul- -africano Martin Dreyer venceu, dizendo: “O Land Rover G4 Challenge foi a melhor experiência da minha vida. Nada chega perto dele em termos de grandiosidade. Foi uma experiência de outro mundo”. A competidora australiana Alina McMaster acrescenta: “Não sei de nenhum outro evento em que você faz todos esses tipos de coisas. São várias coisas divertidas para fazer. Foi a competição perfeita”. O ESPÍRITO PERMANECE Hoje, o espírito aventureiro da Land Rover continua firme e forte, como mostram as ofertas globais da Land Rover Experience. Mas será que é o momento certo para a volta de um evento de aventura “puro”? Iain, Simon e Niki acreditam que sim. “Consigo ver um futuro para um evento como o Camel Trophy, mas baseado nas pessoas e num objetivo compreensível e respaldado pelo uso de um veículo 4x4. O futuro está nas pessoas, auxiliadas pelo carro”, diz Iain. Ele é apoiado por Niki, que agora coordena as atividades de marca em toda a Jaguar Land Rover do Reino Unido. “Hoje, a aventura está mais relevante do que nunca”, diz ela. Simon, que atualmente dirige uma bem-sucedida agência de eventos, completa: “A aventura não é definida pelo extremo. Ela começa por um sonho, uma inspiração ou um capricho do destino. Algo acontece, algo é concretizado, e uma história é criada. O ato final é contar, partilhar ou manter em segredo aqueles momentos que o afetam, que o transformam e que o definem juntamente com seus parceiros. A aventura está aí fora, esperando por você, e é algo atemporal”. Hoje, em pé ao lado dos veículos clássicos, é como se as competições nunca tivessem acabado, e há um quê de nostalgia no ar. O grupo parece estar pronto para saltar de volta para trás do volante e começar tudo de novo. A aventura, tudo indica, ainda está viva. DESCUBRA MAIS sobre essas extraordinárias expedições e os aventureiros por trás delas. Busque “Legends Reunited - Land Rover 70th Anniversary” no YouTube ou visite http://bit.ly/LandRover70 AVENTURA BENEFICENTE Comemorando hoje seu próprio 20º aniversário, o Fifty 50 Challenge foi um evento voluntário criado em 1998 por funcionários da Land Rover para celebrar o 50º aniversário da marca. O ambicioso objetivo era viajar por 50 países em 50 dias e angariar 50.000 libras esterlinas para o UNICEF. Dois integrantes de destaque – Peter Crowley, ex-engenheiro-chefe da Land Rover, e o engenheiro Stuart Martin – reencontraram-se com dois dos quatro veículos do Challenge em Eastnor, durante a exclusiva reunião de Onelife: “Goldilocks” (“Cachinhos Dourados”, em inglês), um Defender 110 cujo apelido remete à tinta dourada comemorativa do aniversário, e “Baby Bear”, um dos três Freelanders dos primórdios que participaram. Stuart Martin explica: “Trinta e um colegas tinham se oferecido para participar e, após meses de preparação depois do expediente, fizemos o evento acontecer. No fim, arrecadamos para o UNICEF o dobro da meta original e conseguimos visitar um total de 56 países. Foi uma maneira intensamente humana de comemorarmos o 50º aniversário da Land Rover e foi também uma aventura e tanto!” 61

 

Land Rover

Revista ONELIFE

 

A revista Onelife da Land Rover traz histórias do mundo todo que celebram a força interior e a motivação para ir além.

A Land Rover sempre significou liberdade de ir a qualquer lugar e a capacidade de fazer qualquer coisa quando se chegar lá. A última edição da revista Onelife saúda este espírito, transportando você ao redor do mundo para celebrar as aventuras que vão do exótico à rotina do dia-a-dia – de uma cidade no Himalaia Indiano onde clássicos Land Rover Série 1 e 2 reinam soberanos, até o incrível County Donegal, na Irlanda, onde o velejador Monty Halls curte sua família à bordo de um Discovery. 

A biblioteca

Outubro de 2018
Abril de 2018
Novembro de 2017
Abril de 2017
Outubro de 2016

Na cidade somos todos pedestres.

Jaguar Land Rover Limited: Registered office: Abbey Road, Whitley, Coventry CV3 4LF. Registered in England No: 1672070

Os números referentes ao consumo de combustível são resultado de testes oficiais do fabricante em acordo com as leis da UE, possuindo função puramente comparativa. O consumo efetivo de um veículo pode diferir dos alcançados em tais testes.