Views
11 months ago

Outubro de 2016

  • Text
  • Rover
  • Jaguar
  • Anos
  • Carro
  • Equipe
  • Apenas
  • Forma
  • Sempre
  • Tudo
  • Ainda
Unboxing do Discovery totalmente novo | Um retrato de Ben Ainslie, a lenda da vela | Veja o futuro da mobilidade e do transporte | Será que Copenhague é o lugar mais legal do mundo?

CAÇA AO TESOURO “Voar

CAÇA AO TESOURO “Voar até Brisbane. Arranjar um carro. Dirigir 2500 km no interior”. Esta é uma descrição de onde o Carro Zero, o veículo de exibição do novo projeto Reborn da Land Rover, foi encontrado. Quem explica é Mike Bishop, um homem que possui olho clínico para encontrar os Série I, e especialista de produto, por trás desta missão de sonho: encontrar Land Rovers Série I originais onde quer que eles estejam no mundo, trazê-los para a região das British Midlands e restaurá-los para lhes devolver à glória do passado. “Como em qualquer restauração, a história do Carro Zero é bastante extraordinária”, explica Mike. “A exploração de ovinos e bovinos no Outback de Queensland abrange 25 000 acres. Este veículo nunca foi matriculado porque aqui não há estradas. Nem sequer de saibro. Os únicos caminhos que ele percorreu são os da exploração, o que vem fazendo freneticamente desde 1950. Ele provavelmente deixou de ser utilizado diariamente por volta do ano 2000. Afinal, não são muitos veículos que aguentam trabalhar por 50 anos, principalmente em condições tão adversas”. No entanto, são precisamente estas condições adversas que geraram algumas das primeiras joias na caça aos Série I elegíveis para serem tratados no Land Rover Reborn. “Estamos em busca de veículos com chassi, antepara, eixos e caixa de velocidades originais”, diz Mike. “Tentar encontrá-los é um projeto complexo, sendo raro encontrar um veículo tão antigo assim com as peças originais”. Em zonas como o Outback de Queensland, apesar das condições rigorosas, há a vantagem de que chove apenas algumas vezes por ano. A ausência de umidade reduz a ferrugem. “É muito menos usual encontrar um Série I com a antepara original no Reino Unido ou na Nova Zelândia”, reconhece Mike. Mas acontece. “O Carro Dois, que veio de um concessionário de Bristol, está num estado fantástico para ser um Série I do Reino Unido. É um modelo de 1952 com chassi, unidade traseira e antepara originais. Foi por isso que o escolhemos”. 3 PASSOS PARA O RENASCIMENTO PASSO 1: A FONTE Mike Bishop, Especialista de Produto “Quando iniciei minha participação no projeto, o problema era se existiam veículos suficientes para torná-lo viável. A busca começou no Reino Unido, mas a Land Rover sempre teve um passado de exportação. Quer seja o novo Range Rover ou o Série I, 80% dos produtos Land Rover são de exportação, portanto, é preciso analisar mundialmente. A Austrália, onde cresci, foi um dos maiores mercados de exportação devido ao crescimento da agricultura no período pós-guerra. Tanto o Carro Zero como o Carro Um foram encontrados em fazendas em Queensland. Para chegar lá, a partir de Solihull, seriam provavelmente quatro ou cinco dias. Embora seja uma importante zona de busca, ela só oferece veículos com direção à direita e temos também uma grande procura de veículos com direção à esquerda. Várias regiões da Europa, como Suíça, Portugal, Espanha e Bélgica, eram muito importantes para a Land Rover nos anos de 1950” TODAS AS HISTÓRIAS SÃO ÚNICAS Em uma oficina próxima do local onde os primeiros Land Rovers eram originalmente testados num percurso fora de estrada, sobre os abrigos antibombas na fábrica de Solihull, encontram-se cinco veículos em vários estados de restauração. São as primeiras encomendas de um projeto que já superou as expectativas. “A ideia original era fazer 25 veículos”, diz Mike. “Foram vendidos em uma semana. Agora temos outras 49 encomendas”. No nicho de restauração do Série I, encontrar e comprar estas peças da história automobilística não é fácil. “O mercado para estes veículos é muito competitivo, então estamos em um jogo de gato e rato”, explica Mike. “Esta é uma indústria artesanal muito frágil. Não queremos destruí-la. Queremos cultivá-la. Felizmente, as pessoas são tão apaixonadas pela Land Rover e estão tão entusiasmadas com este projeto, que querem nos fornecer os veículos”. O processo de restauração é único para cada veículo e é isso que torna esta oficina tão diferente das que encontramos nas grandes fábricas automotoras. 64

PASSO 2: O EQUIPAMENTO Karl Schafer, Técnico do Land Rover Reborn “O WD40 e o Plus Gas têm sido os nossos salvadores. Retirar suavemente parafusos antigos com 60 anos de idade é muito importante. Se tentarmos arrancá-los, podemos ter de perfurálos e substituí-los por parafusos maiores. Pode parecer um pormenor, mas queremos restaurar estes veículos exatamente de acordo com as suas especificações originais. Se é para ser um 1/8’’, não queremos um 3/16’’. Tentamos manter a maior quantidade possível de peças originais que conseguimos. Todos os veículos são únicos e apresentam exigências únicas. E isso implica uma verdadeira arte. Estamos contratando aprendizes para ensinar a eles as competências que nos foram transmitidas e que, do contrário, teriam sido perdidas. Temos muito orgulho no que fazemos”. 65

 

Land Rover

Revista ONELIFE

 

A revista Onelife da Land Rover traz histórias do mundo todo que celebram a força interior e a motivação para ir além.

A Land Rover sempre significou liberdade de ir a qualquer lugar e a capacidade de fazer qualquer coisa quando se chegar lá. A última edição da revista Onelife saúda este espírito, transportando você ao redor do mundo para celebrar as aventuras que vão do exótico à rotina do dia-a-dia – de uma cidade no Himalaia Indiano onde clássicos Land Rover Série 1 e 2 reinam soberanos, até o incrível County Donegal, na Irlanda, onde o velejador Monty Halls curte sua família à bordo de um Discovery. 

A biblioteca

Outubro de 2018
Abril de 2018
Novembro de 2017
Abril de 2017
Outubro de 2016

Na cidade somos todos pedestres.

Jaguar Land Rover Limited: Registered office: Abbey Road, Whitley, Coventry CV3 4LF. Registered in England No: 1672070

Os números referentes ao consumo de combustível são resultado de testes oficiais do fabricante em acordo com as leis da UE, possuindo função puramente comparativa. O consumo efetivo de um veículo pode diferir dos alcançados em tais testes.