Views
1 month ago

Outubro de 2018

  • Text
  • Rover
  • Anos
  • Carro
  • Rovers
  • Mundo
  • Estrada
  • Cape
  • Lugar
  • Epic
  • Cidade
Compartilhe da paixão por Land Rovers de uma comunidade localizada nas remotas montanhas da índia | Experimente a emoção de dirigir um Range Rover Velar em um lago congelado | Explore o incrível Donegal Irlandês com o velejador Monty Halls e sua família | Sinta-se como uma criança “brincando” nos obstáculos do Above & Beyond Tour | Descubra porque o Range Rover PHEV impressionou o escalador Jimmy Chin | Conheça o mais forte dos Defenders: o Defender Classic Works V8 Special

NUNCA PARE DE DESCOBRIR

NUNCA PARE DE DESCOBRIR arregalados com a pura maravilha de tudo aquilo. Em forte contraste, eu me sentei num cavalo enorme chamado Jack, animal inofensivo cujo único sinal de constrangimento com o desajeitado fanfarrão em suas costas era um eventual revirar de olhos e uma bufada de desprezo. Nos dias que se seguiram, percorremos todo o condado, visitando a Glencolmcille Folk Village para vislumbrar um passado que não tinha sido nada fácil – este era e é um lugar lindo para viajar, mas que às vezes era duro para viver. Isso talvez explique por que a comunidade de Donegal permanece tão forte até hoje, com uma cordialidade autêntica e um profundo interesse em quem você é, de onde veio e para onde vai. Nosso local mais desafiador era Port, situado no final de uma longa trilha pedregosa que, por sua vez, era a continuação de uma estrada estreita que serpenteava por quilômetros intermináveis de pântanos nevoentos. No fim da estrada ficava o Port Cottage, um edifício restaurado numa aldeia há muito abandonada, ameaçada pelo Atlântico. O chalé era básico, para dizer o mínimo, mas era aí que estava sua magia. Uma fogueira de relva ardia no canto de um recinto envolvente que tinha uma pequena cozinha e área de estar. O ambiente estava repleto de resíduos do mar – as chamas se refletiam nas pedras marinhas verdes e dançavam através das folhas secas de algas que pendiam do teto. Foi nessa baía que Isla – acompanhada pelo incomparável Ian Millar, lenda local da escalada – tornou-se a pessoa mais jovem a escalar uma coluna de rocha próxima, os braços erguidos em triunfo enquanto o mar turbilhonava cinquenta metros abaixo e as gaivotas rodavam e gritavam na névoa marinha que a envolvia em sua posição elevada. Mas o grito de vitória final ainda estava por vir. Eu tinha guardado o barco localmente durante a semana e fui buscá-lo para levar a família a um lugar de verdadeiro deslumbramento para mim: Malin Head. Merecidamente venerado por navegantes, amantes da natureza e, aliás, por quem quer que adore lugares selvagens, foi aqui, claro, que tive o meu encontro com os tubarões-frades tantos anos atrás. O lançamento do barco ao mar foi uma chance de usar o Land Rover Advanced Tow Assist, um magnífico mostrador no console central do Discovery que basicamente conduz o reboque pelas rampas mais estreitas. Isso dá uma ótima oportunidade de saltar do carro orgulhoso, passando a impressão de ser um velho lobo do mar, quando, na verdade, trata-se de um triunfo da tecnologia, em vez de know-how e competência pessoal. Mas, pelo menos naquele momento, mantive esse meu segredinho quando correspondi com um leve meneio de cabeça ao sorriso de um homem local no píer. Passamos a maior parte do dia no mar, chegando até a ilha de Inishtrahull – muitas vezes, a última visão da terra para as pessoas que emigravam da Irlanda e, portanto, lugar onde rolaram mais lágrimas do que em qualquer outra região do país. No retorno ao porto, nossa despedida de Donegal aguardava. Um barco local nos contatou pelo rádio para dizer que um bando de golfinhos estava brincando sob a longa sombra dos grandes e sombrios penhascos do cabo. Girei o volante e segui rapidamente em direção a um ponto de encontro que havia levado centenas de quilômetros e muitos anos para se formar. Tínhamos vindo a Donegal para mostrar às nossas filhas um lugar que consideramos um dos mais maravilhosos da Europa – na verdade, do mundo – e, quando chegamos a Malin Head, o bando veio ao nosso encontro. Em poucos segundos, o barco estava rodeado de figuras cinzentas e delgadas que se contorciam nas ondas e explodiam para fora da água atrás de nós, acompanhadas o tempo todo pelos gritos e risadas de Isla e Molly. Foi realmente uma despedida apropriada de uma semana num lugar especial situado num extremo continental e de uma oportunidade de viajarmos por estrada, trilha e mar numa verdadeira jornada de descoberta. ASSISTA AO VÍDEO Para recordar as aventuras 4x4 da família Hall com seu Land Rover Discovery na linda região de Donegal, visite youtube.com/landrover A função Advanced Tow Assist facilita a manobra do barco de Monty. Na água, uma curtição mágica aguarda os Hall: um bando de golfinhos cheios de energia. 58

RIGHT XXXXXX “OS GOLFINHOS SE CONTORCEM NAS ONDAS E EXPLODEM PARA FORA DA ÁGUA ATRÁS DE NÓS.” 59

 

Land Rover

Revista ONELIFE

 

A revista Onelife da Land Rover traz histórias do mundo todo que celebram a força interior e a motivação para ir além.

A Land Rover sempre significou liberdade de ir a qualquer lugar e a capacidade de fazer qualquer coisa quando se chegar lá. A última edição da revista Onelife saúda este espírito, transportando você ao redor do mundo para celebrar as aventuras que vão do exótico à rotina do dia-a-dia – de uma cidade no Himalaia Indiano onde clássicos Land Rover Série 1 e 2 reinam soberanos, até o incrível County Donegal, na Irlanda, onde o velejador Monty Halls curte sua família à bordo de um Discovery. 

A biblioteca

Outubro de 2018
Abril de 2018
Novembro de 2017
Abril de 2017
Outubro de 2016

Na cidade somos todos pedestres.

Jaguar Land Rover Limited: Registered office: Abbey Road, Whitley, Coventry CV3 4LF. Registered in England No: 1672070

Os números referentes ao consumo de combustível são resultado de testes oficiais do fabricante em acordo com as leis da UE, possuindo função puramente comparativa. O consumo efetivo de um veículo pode diferir dos alcançados em tais testes.