Maio de 2019

  • Nova
  • Ainda
  • Apenas
  • Shenzhen
  • Evoque
  • Anos
  • Vida
  • Mundo
  • Cidade
  • Rover
Shenzhen por Range Rover Sport PHEV | Um primeiro passeio no novo Range Rover Evoque | Arquitetura modernista da metade do século na Alemanha | George Bamford conta o que faz verdadeiro luxo | Conheça o moon-walker Charlie Duke | Subcultura de Carnaval no Brasil

A V I T Ó R I A É F E

A V I T Ó R I A É F E I T A D I S T O 74

PIONEIROS TEXTO: GEOFF POULTON IMAGENS: CORTESIA DO ESCRITÓRIO DE SUA SANTIDADE O DALAI LAMA, SEBASTIAN GRAU A montanhista bengalesa e ativista de direitos humanos Wasfia Nazreen tem orgulho de desafiar as convenções. Wasfia Nazreen nunca imaginou que um dia estaria no topo do mundo vendo o sol nascer. A jornada dela até o pico do Monte Everest foi traiçoeira, uma batalha contra o frio extremo, a náusea e a ameaça diária de avalanches fatais. Os corpos congelados de escaladores mortos que ela encontrou ao longo do caminho eram uma crua lembrança do perigo. Ao se aproximar do cume, a mais de 8 mil metros acima do nível do mar, as primeiras lágrimas começaram a cair. Quando Nazreen finalmente chegou ao topo, estava soluçando incontrolavelmente, dominada pela gratidão. “Depois de me sentir tão sozinha na subida, senti, de repente, uma conexão com cada ser. Toda a minha vida apareceu na minha frente. Eu me senti menor do que um inseto junto a esses deuses e deusas do Himalaia.” Escalar o Monte Everest em 2012 foi uma experiência transformadora para essa mulher de Bangladesh, hoje com 36 anos, dando-lhe uma “nova compreensão de como o nosso tempo na Terra é limitado, além de força e perspectiva renovadas para o ativismo”. Nazreen não escala só para si mesma: isso se tornou sua maneira de promover força e esperança para as mulheres, tanto em seu país natal como em outros lugares. O Everest foi apenas uma parte de “Bangladesh em Sete Cumes”, homenagem dela à bravura das mulheres que sofreram durante a guerra de independência de Bangladesh. Em 2015, ela alcançou o topo da Pirâmide Carstensz, na Nova Guiné, tornando-se a primeira pessoa bengalesa – e uma de apenas algumas centenas de escaladores – a atingir o pico mais alto de cada um dos sete continentes do mundo. Em cada cume, Nazreen exibia orgulhosamente a bandeira de Bangladesh, para depois pegar um bambolê desmontável e girá-lo em volta dos quadris. “Fui castigada por fazer isso quando criança, então A conquista das montanhas por Nazreen é uma homenagem às mulheres de Bangladesh. Canto superior esquerdo: mostrando ao Dalai Lama uma foto do Tibete tirada do pico do monte Everest. Canto superior direito: no topo do Monte Denali, no Alasca. faço por mim e pelas meninas do meu país. É minha maneira de dizer ‘basta!’”. Nazreen cresceu em Chittagong, a segunda maior cidade de Bangladesh. Depois de terminar o ensino secundário na capital, Daca, ela recebeu uma bolsa de estudos de uma faculdade nos EUA para estudar arte e psicologia. Sua pesquisa sobre como as mulheres usam a arte como terapia levou-a a várias regiões da Índia, inclusive Dharamshala, sede do governo tibetano no exílio, onde sua paixão pelas montanhas e pelos direitos humanos cresceu. Atuou em organizações de ajuda antes de decidir combinar em tempo integral suas paixões pela escalada e pelo ativismo; ela trabalha para gerar conscientização sobre os abusos dos direitos humanos e as mudanças climáticas. Apesar do “amor” que recebeu de todo o mundo, como mulher de Bangladesh, completar os Sete Cumes apresentou grandes desafios – e não apenas físicos, mentais, financeiros e logísticos. “Eu me deparei com discriminação, insultos e até ameaças de morte. Mas isso serve apenas para aumentar a força feminina em ascensão.” Perfeccionista declarada, Nazreen considera o planejamento de uma expedição uma forma de arte. O trabalho de logística começa com meses ou mesmo anos de antecedência, juntamente com seu treinamento físico ininterrupto. “Por melhor que seja o seu planejamento”, ela diz, “você também tem de aceitar que quase qualquer coisa pode e vai dar errado”. Nazreen procura iniciar cada dia com meditação. “A atenção plena é essencial ao escalar, e o montanhismo é uma fonte de reflexão e tranquilidade para mim.” É uma escolha de carreira que foge ao convencional, ela admite, sobretudo para quem vem de uma sociedade na qual tudo o que ela escolheu fazer é considerado “anormal” ou “tabu”. “Mas é exatamente disso que mais me orgulho: viver a vida que escolho.” 75

 

Land Rover

Revista LAND ROVER

 

As histórias das mostras da revista Land Rover do mundo todo que celebram a força interna e a inspiração para ir acima e além

A Land Rover não só tem os veículos superiores mais capacitados, mas também um estado de espírito onde um senso de curiosidade, de exploração e de admiração está presente em todas as aventuras da vida. Descubra isso na mais recente edição da Revista Land Rover, desde conhecer um grupo de sobreviventes da Era do Gelo na costa holandesa com o Land Rover Discovery, até a arquitetura sustentável mais inovadora em uma viagem californiana com o Range Rover Evoque.

A biblioteca

Janeiro de 2020
Maio de 2019
Outubro de 2018
Abril de 2018
Novembro de 2017
Abril de 2017
Outubro de 2016

Na cidade somos todos pedestres.

Jaguar Land Rover Limited: Registered office: Abbey Road, Whitley, Coventry CV3 4LF. Registered in England No: 1672070

Os números referentes ao consumo de combustível são resultado de testes oficiais do fabricante em acordo com as leis da UE, possuindo função puramente comparativa. O consumo efetivo de um veículo pode diferir dos alcançados em tais testes.